Bolsonaro amenazó a Lula con activar la Ley de Seguridad Nacional

Bolsonaro amenazó a Lula y sus seguidores

El presidente de Brasil, Jair Bolsonaro, pisa el acelerador cada día un poco más y ahora, enfurecido tras la reciente liberación de Luiz Inácio Lula da Silva, amenazó con echar mano a la Ley de Seguridad Nacional para reprimir posibles manifestaciones en favor del exmandatario.

La ley a la que hizo referencia el líder de ultraderecha está pensada para reprimir “insurrecciones”. En ese sentido, dio a entender que si Lula cumple con su anuncio de recorrer el país para generar un nuevo movimiento político, apelará a esa controvertida norma.

En ese marco, Bolsonaro se refirió a los movimientos de protesta y rebelión que vienen surgiendo en América del Sur y afirmó que “Brasil es la cereza del postre” de la izquierda.

“Tenemos una Ley de Seguridad Nacional que está para ser usada; algunos creen que los pronunciamientos de este elemento (en referencia a Lula), que por ahora está suelto, infringen la ley”, escupió el mandatario brasileño al portal O Antagonista.

En ese sentido, señaló que su gobierno “accionará al Poder Judicial si existe seguridad de que él (Lula) está en ese discurso para alcanzar sus objetivos”.

“Estos días vimos al Grupo de Puebla, que es el Foro de San Pablo con otro nombre, reunirse en la Argentina. Estaba (la expresidenta brasileña) Dilma Rousseff, y buscan por medio de la Argentina seguir con esta política de la gran patria bolivariana o una sola Sudamérica; el objetivo siempre es el mismo”, afirmó Bolsonaro con desprecio.

Infonews


Bolsonaro ameaça acionar Lei de Segurança Nacional contra Lula

O presidente da República, Jair Bolsonaro, ameaçou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta segunda-feira. Em entrevista, Bolsonaro disse que pode usar a Lei de Segurança Nacional após Lula prometer rodar o país denunciando o “desmonte do Estado e a perda da soberania nacional, promovidos pela atual gestão”.

“Temos uma Lei de Segurança Nacional que está aí para ser usada. Alguns acham que os pronunciamentos, as falas desse elemento, que por ora está solto, infringem a lei. Agora, nós acionaremos a Justiça quando tivermos mais do que certeza de que ele está nesse discurso para atingir os seus objetivos”, afirmou o presidente ao site O Antagonista.

Bolsonaro também citou os protestos no Chile e a “volta da turma de Cristina Kirchner” na Argentina. De acordo com ele, a situação ficará complicada se o Brasil “entrar em convulsão”. “Você pode ver no Chile, o presidente Piñera demitiu todos seus ministros, pediu perdão e continua a mesma coisa. Agora tem que se preparar, porque, na América do Sul, o Brasil é a cereja do bolo”, acrescentou Bolsonaro.

O presidente ainda comentou sobre a Lava-Jato. De acordo com Bolsonaro, a investigação foi um dos obstáculos para que governos de esquerda conseguissem o poder absoluto na América do Sul.

“Esses países de esquerda, né, que já têm governo, como lá atrás quando foi criado, até as Farc fizeram parte, o objetivo era se ajudarem para chegar ao poder. O próprio (José) Dirceu disse, algum tempo depois, que muitos que chegaram ao poder não acreditavam. E, aqui no Brasil, aconteceu um fenômeno conhecido como mensalão, como a Lava-Jato, que botou, não digo um ponto final, mas botou um obstáculo para prosseguirem nessa tentativa insana de poder absoluto.”

*A estagiária está sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz

EM


Com agendas distintas, Lula e Bolsonaro miram suas estratégias no Nordeste

O ex-presidente Lula já tem definida a sua primeira viagem pelo País. No dia 17, ele vai para Recife onde participa do Festival Lula Livre. Antes de sua saída da prisão, já estavam previstos shows dos artistas Odair José e Marcelo Jeneci. Agora, a expectativa é que o evento vire um ato em comemoração à sua liberdade, alcançada na sexta-feira 8, depois de 580 dias de cárcere.

Cogita-se a possibilidade de o ex-presidente visitar Salvador na quinta-feira 14 para participar de uma reunião da executiva do PT que acontecerá na cidade. Se isso ocorrer, o partido pode organizar também um evento público para o ex-presidente ter contato com o povo.

Outra agenda confirmada pelo petista é um pronunciamento na abertura do congresso do PT, no dia 22, em São Paulo – o evento acontece de 22 a 24 de novembro. Para o momento, Lula pediu a assessores um amplo levantamento da situação do País baseado em números. O ex-presidente deve usar a fala para dar a orientação política ao partido para os próximos anos. Lula vai abordar a situação atual do Brasil e projetar os caminhos que enxerga para o futuro.

Já em seu primeiro discurso após deixar a prisão, Lula afirmou que iria percorrer o País para estabelecer uma contrapartida ao governo Bolsonaro e também fortalecer uma frente ampla das forças de esquerda.

Bolsonaro também vai ao Nordeste

O presidente Jair Bolsonaro também tem agenda no Nordeste esta semana. Nesta segunda-feira 11, o presidente deve chegar a Campina Grande para entregar um complexo habitacional com 4,1 mil moradias do Minha Casa, Minha Vida. Ele vai acompanhado do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e de aliados. Eles serão recebidos pelo prefeito da cidade, Romero Rodrigues (PSD). É a quinta viagem de Bolsonaro ao Nordeste em mais de dez meses de mandato.

O ex-presidente Lula tem na região o seu principal reduto. No segundo turno das eleições do ano passado, Bolsonaro venceu o candidato do PT, Fernando Haddad , em apenas três cidades da Paraíba, entre elas Campina Grande, onde obteve o melhor resultado no estado, 56,3% dos votos válidos. Ele também saiu vitorioso em João Pessoa (54,8%) e em Cabedelo (50,9%). No estado, o petista obteve 65% dos votos contra 35% de Bolsonaro.

Carta Capital