Brasil: confirman dos muertos por derrumbe de viaducto construido para el Mundial

Prefeito de BH confirma dois mortos e 19 feridos em queda de viaduto

O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, confirmou no início da noite desta quinta-feira que duas pessoas morreram e 19 ficaram feridas no desabamento do viaduto da Avenida Pedro I, que integrava o conjunto de obras para a Copa do Mundo, apesar de não ter ficado pronto antes do início do Mundial. Um carro, dois caminhões e um micro-ônibus foram atingidos pelos escombros. Um dos mortos foi a motorista do micro-ônibus, de 25 anos, identificada como Hanna Cristina Santos.

Onze feridos foram atendidos no Hospital Risoleta Neves, dois no Hospital Odilon Behrens, dois foram encaminhados para a UPA Venda Nova e dois na UPA Pampulha, além de três atendidos e liberados no local.

Lacerda disse que as causas do desabamento ainda são desconhecidas. Segundo ele, pode ter havido falha na execução do projeto ou falha na própria construção. Ele decretou luto de três dias em Belo Horizonte.

O viaduto, que saia da Rua General Olímpio Mourão e passava sobre a Avenida Pedro I, estava em construção. O acidente aconteceu na Região da Pampulha, onde está o estádio Mineirão, que vai receber uma partida da semifinal da Copa do Mundo na próxima terça-feira (8). A Avenida Pedro I é uma das vias de acesso ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins.

O empreendimento total incluía ainda a instalação de um sistema expresso de ônibus (BRT), instalação de passarelas e alargamento de rodovia. Com esse acidente, os supersticiosos já temem a semifinal da Copa na capital mineira.

O custo total do complexo da obra era de R$ 45 milhões com início previsto para setembro de 2011 e conclusão prevista para janeiro do ano passado. O empreendimento faz parte da matriz de responsabilidade da Copa, que definiu o complexo viário como obra da prefeitura de Belo Horizonte.

A construtora Cowan S.A., responsável pela obra, divulgou nota oficial em que lamenta “profundamente o ocorrido com o viaduto sobre a Avenida Pedro I”. “Neste momento, a prioridade é o apoio às vitimas e aos familiares. A empresa informa que já enviou ao local a equipe técnica para iniciar as investigações”, diz a nota.

A tragédia não isenta de responsabilidade a construtora Cowan, que também financia campanhas políticas. Em 2012, a empresa desembolsou R$ 2.826.264,29 para os partidos. No dia 28 de setembro de 2012, segundo o TSE, a Cowan fez uma doação de R$ 500 mil ao PCdoB; no dia 20 de setembro, R$ 1 milhão para o PMDB; no dia 4 de outubro, R$ 500 mil para o PMDB; no dia 25 de outubro, R$ 326.264 para o PMDB; e no dia 28 de setembro, R$ 500 mil para o PSDB.

http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/07/03/prefeito-de-bh-confirma-dois-mortos-e-19-feridos-em-queda-de-viaduto/

 

Dilma oferece ajuda do governo após desabamento de viaduto em Belo Horizonte

A presidenta Dilma Rousseff lamentou hoje (3) o desabamento de um viaduto de obras em Belo Horizonte. Além de prestar solidariedade às famílias das vítimas, ela colocou o governo federal à disposição para o que for necessário. Após o acidente, o prefeito da capital mineira, Márcio Lacerda, decretou três dias de luto oficial.

“Foi com tristeza que soube do desabamento do viaduto em Belo Horizonte. O governo se coloca à disposição da prefeitura e das autoridades de Belo Horizonte no que for necessário. Neste momento de dor, presto minha solidariedade às famílias das vítimas”, escreveu a presidenta em sua conta pessoal no Twitter.

De acordo com a Secretaria de Saúde do estado, uma pessoa morreu e 20 estão feridas. A secretaria também considera uma segunda morte, presumida, do motorista do carro que foi esmagado. Segundo a prefeitura, são 19 os feridos. A estrutura despencou na tarde de hoje e atingiu um micro-ônibus, um carro e dois caminhões.

Nesta noite, o governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, divulgou nota: “Neste momento de profunda tristeza pela tragédia ocorrida nesta tarde em Belo Horizonte, apresento, em nome do povo mineiro, meu pesar, apoio e solidariedade às vítimas, seus familiares e amigos. Determinei aos profissionais do Sistema Estadual de Saúde e de Defesa Social que não meçam esforços para prestar toda a assistência que se fizer necessária”.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), também divulgou nota lamentando o ocorrido. “Com muita tristeza, recebo as notícias da tragédia ocorrida hoje em Belo Horizonte. É muito importante que as causas e as responsabilidades sejam apuradas. Neste momento, no entanto, minhas palavras são de solidariedade aos feridos e às famílias daqueles que perderam a vida. Que Deus as conforte nesta hora tão difícil”.

O viaduto que ruiu estava em fase de acabamento e seria entregue no final do mês. No início de fevereiro, outro viaduto do mesmo complexo de obras para a instalação do sistema de transporte rápido por ônibus, o Montesi, teve que ser interditado devido a um problema estrutural – parte do viaduto em construção se deslocou, lateralmente, cerca de 30 centímetros em relação à estrutura. O sistema de Bus Rapid Transport (BRT) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Urbana.

O viaduto é uma das vias de acesso ao Estádio Mineirão, que fica a cerca de 4 quilômetros do local do acidente e é uma das sedes da Copa do Mundo.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2014-07/dilma-coloca-governo-disposicao-apos-desabamento-de-viaduto-em-belo

 

‘Certamente’ foi um erro de engenharia, diz prefeito

O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), afirmou nesta quinta-feira (3) que o desabamento de um viaduto que deveria ter ficado pronto para a Copa “certamente” foi causado por algum erro de engenharia.

“No futuro, depois de tudo apurado, certamente vai se descobrir algum erro de engenharia, seja de projeto, seja de construção”, disse.

Lacerda afirmou ainda que “acidentes como esse infelizmente acontecem” e que o momento é de “lamentar” o ocorrido, mas que as responsabilidades serão apuradas.

“Não sabemos se é falha de projeto ou de construção. Serão feitas todas as perícias, um inquérito policial será aberto e essa análise será feita com cuidado”, disse.

Questionado sobre a fiscalização da obra, o prefeito afirmou que o projeto e a construção do viaduto foram acompanhados pela prefeitura. “O projeto foi feito por uma empresa de tradição, renomada, que ganhou licitação. Houve um erro, certamente, mas o inquérito vai apurar responsabilidades.”

A prefeitura informou que foi criado um comitê composto por técnicos da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, da Defesa Civil, da construtora Cowan (responsável pelas obra) e da Consol (responsável pelo projeto).

O grupo vai levantar dados sobre o acidente, elaborar “criterioso diagnóstico das causas” e definir as providências que serão tomadas.

A Cowan lamentou “profundamente o ocorrido” e informou não estar “medindo esforços para oferecer o apoio necessário às vítimas”. A empresa disse que uma equipe técnica própria já começou a investigar o acidente.

O custo inicial da obra, que inclui a duplicação da av. Pedro 1º e três viadutos, incluindo o que ruiu, é de R$ 171,7 milhões, sem contar aditivos. A informação é do portal Copa Transparente, do Congresso, que acompanha os gastos públicos com o Mundial.

O prefeito decretou luto de três dias na cidade e disse que o viaduto será demolido assim que possível para abrir uma ou mais pistas da av. Pedro 1º. Ele afirmou que era normal o trânsito na via estar liberado porque a obra já passava por acabamento.

A Cowan afirma que logo após o acidente enviou equipes ao local para remover a estrutura restante e que os trabalhos “devem se estender pelos próximos dias”.

A construtora disse que providenciou o escoramento do viaduto vizinho ao que desabou, mas não informou se ele também foi afetado.

O Crea-MG (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) informou que também vai apurar os fatos e que “tomará as devidas providências conforme a legislação”.

O vereador Iran Barbosa (PMDB), que dirigia próximo ao local no momento do acidente, afirmou que vai propor a abertura de uma CPI e convocar os responsáveis pela obra para prestar esclarecimentos na Câmara.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/174348-certamente-foi-um-erro-de-engenharia-diz-prefeito.shtml