Brasil: Tras alud en Minas Gerais, Dilma responsabiliza a empresa minera y exige que pague por los daños

DILMA: SAMARCO SERÁ MULTADA EM R$ 250 MILHÕES

Durante visita aos municípios atingidos pela tragédia em Mariana nesta quinta-feira 12, a presidente endureceu o discurso contra a mineradora responsável pelas barragens que se romperam em Minas; “Várias legislações federais foram descumpridas”, afirmou; Dilma Rousseff anunciou que a empresa controlada pela Vale e BHP Biliton será multada em R$ 250 milhões, por dano ao meio ambiente e comprometimento da bacia hidrográfica, por dano ao patrimônio público e interrupção da energia elétrica; já as indenizações por danos materiais, ambientais e humanos devem atingir a casa do bilhão; “Vamos cobrar a multa da empresa e dos presidentes da empresa, providências”, disse Dilma; ela seguiu para Colatina, no Espírito Santo, que se prepara para receber a lama pelo Rio Doce.

Durante visita aos municípios atingidos pela tragédia em Mariana nesta quinta-feira, 12, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o governo federal está empenhado em responsabilizar os responsáveis pelos estragos ambientais, sociais e humanos causados pelo rompimento das barragens de rejeitos da Samarco.

“Várias legislações federais foram descumpridas. Demos várias multas provisórias. A multa preliminar é de R$ 250 milhões por dano ambiente e comprometimento da bacia hidrográfica, por dano ao patrimônio público e interrupção da energia elétrica”, afirmou a presidente em Governador Valadares. “Vamos cobrar a multa da empresa e dos presidentes da empresa, providências”, disse Dilma.

Já as indenizações por danos materiais, ambientais e humanos devem atingir a casa do bilhão.

Ao lado dos governadores de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), e do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), a presidente demonstrou preocupação em solucionar, mesmo de forma emergencial o abastecimento de água, que está comprometido com a contaminação do Rio Doce pela lama de rejeitos da Samarco. “Temos que buscar todos os meios emergenciais. Temos o problema de abastecimento de água, de logística e de acesso ao manancial”, afirmou.

A presidente garantiu esforços para recuperar o Rio Doce. “Faremos o possível e o impossível para recuperar o Rio Doce”, prometeu. De Governador Valadares, Dilma seguiu para Colatina (ES), onde as autoridades se preparam para receber a lama vinda pelo Rio Doce.

Brasil247


VOLVER