Bahía elige al primer gobernador indígena de Brasil

1.415

Elecciones Brasil 2022: Bahía eligió al primer gobernador indígena del país

Tras obtener el 52,77% de los votos en el ballotage, Jerónimo Rodrigues fue elegido este domingo nuevo gobernador del estado de Bahía por el Partido de los Trabajadores, y se convirtió en el primer candidato autoproclamado indígena en conquistar el cargo en el país.

Rodrigues, quien se impuso en la segunda vuelta a Antonio Carlos Magalhaes Neto, heredero de la dinastía conservadora bahiana, renunció a su cargo como ministro de Educación de Bahía para ir por la gobernación del estado, en la que fue su primera vez ante una elección.

El candidato del PT es oriundo de Aiquara, un pueblo rural ubicado a 400 kilómetros de Salvador. Nacido el 3 de abril de 1965, es de origen indígena, cristiano y católico.

Rodrigues fue profesor universitario y es ingeniero agrónomo. Graduado y posgraduado en la Universidad Federal de Bahía, pertenece al Partido de los Trabajadores desde 1990. En 2007, J pasó a ser asesor de la Secretaría de Ciencia, Tecnología e Innovación de Bahía, durante el gobierno de Jaques Wagner (PT). En 2010, aún bajo la administración de Wagner, se unió al equipo del Departamento de Planificación del Estado.

En 2011 asumió como secretario ejecutivo adjunto del Ministerio de Desarrollo Agrario, secretario nacional de Desarrollo Territorial y asesor especial del Ministerio de Desarrollo Agrario. Durante el gobierno de Rui Costa (PT) en Bahía, trabajó en la implementación de la Secretaría de Desarrollo Rural.

En las elecciones de 2018 fue coordinador de la campaña de reelección de Rui Costa, el actual gobernador de Bahía. En la nueva administración, fue responsable del Departamento de Educación. En 2022, fue elegido por unanimidad por el PT para ser candidato al gobierno del estado.

El candidato del PT logró resistir una campaña marcada por las noticias falsas y los ataques de sus opositores, dueños de los medios de comunicación más grandes del estado.

Página 12


Jerônimo Rodrigues: Bahia elege primeiro governador indígena do país 

Com 52,56% dos votos válidos, Jerônimo Rodrigues (PT) é eleito governador da Bahia no segundo turno das eleições. O petista, que é o primeiro candidato indígena a conquistar o cargo no país, derrotou ACM Neto (União Brasil), político que representa a oligarquia carlista na região. Jerônimo assume em 2023 consolidando a preferência do povo baiano pelas gestões do Partido dos Trabalhadores no governo, que nos últimos 16 anos foi encabeçado por Jaques Wagner e Rui Costa.

O candidato do PT atravessou uma campanha marcada por fake news e contra adversários donos dos maiores veículos de comunicação do estado. Seu patrimônio declarado, R$ 515 mil, também foi muito inferior ao de ACM Neto (União Brasil), que declarou um patrimônio de R$ 41 milhões. Geraldo Júnior, vice da chapa vencedora, também afirmou ter um patrimônio muito inferior R$ 143,5 mil do que o de Ana Coelho (Republicanos), vice de ACM Neto, cujo patrimônio declarado é de R$ 26,5 milhões.

Candidatura desafiadora

A escolha de Jerônimo para disputar a chapa para o governo foi feita este ano às pressas. Jaques Wagner, que governou a Bahia entre 2007 e 2014 e foi eleito para o Senado em 2018, despontava como o favorito dos petistas para o cargo.

No entanto, para manter a unidade com os partidos aliados, o PT optou por manter Wagner como senador e lançar a candidatura do, até então, secretário de educação de Rui Costa. Como analisou o cientista político Renato Francisquini em entrevista para o Brasil de Fato, “o desafio para a campanha do PT no estado, portanto, era duplo: tornar o nome de Jerônimo conhecido e associá-lo ao ex-presidente Lula”.

Campanha ganhou fôlego

Boa parte das pesquisas iniciais no primeiro turno apontavam ACM Neto com ampla margem de vantagem em cima de Jerônimo Rodrigues. A campanha do petista, no entanto, ganhou fôlego do meio para a reta final e o ex-secretário de educação saiu vitorioso no dia 02 de outubro. Dos 415 municípios baianos, Jerônimo foi vitorioso em 352, conquistando 49,45% dos votos contra 40,80% de ACM Neto.

O cientista político Cláudio André de Souza explica que essa trajetória de crescimento é comum às candidaturas do PT ao governo da Bahia. “A grande questão é que, de fato, o PT tem um eleitorado que vai seguindo uma onda pró-Lula que mostra que a candidatura petista pode chegar com muito mais fôlego na reta final. Foi assim em 2006, em 2014, pode ser assim também agora, quando o partido apresenta um nome desconhecido, que nunca foi candidato. Então de fato é como se demorasse mais pra chegar num patamar mais competitivo”, afirma, em análise para o Brasil de Fato.

Reforços 

No segundo turno, Jerônimo ganhou o apoio do PSOL, que havia indicado Kléber Rosa para a disputa ao cargo. Em encontro com o candidato e Rui Costa, atual governador, o partido também apresentou propostas para serem adicionadas ao programa de governo de Jerônimo.

O resultado do primeiro turno também levou a uma migração de apoios de ACM Neto para Jerônimo. Diversos prefeitos aderiram à chapa petista, abandonando a candidatura do ex-prefeito da capital. Marcus Sarmento (PP), prefeito de Itanagra, região metropolitana de Salvador, deixou claro que o principal motivo para a mudança de apoio foi a votação da primeira rodada do processo eleitoral. Em vídeo com Rui e Jerônimo, o prefeito afirmou: “Fui eleito por um povo e o povo deixou claro no primeiro turno que Jerônimo é o futuro da Bahia e eu não posso ficar fora desse time”.

Histórico

Jerônimo Rodrigues (PT) nasceu no povoado de Palmeirinha, em Aiquara (BA). É formado em Engenharia Agronômica com mestrado em Agronomia, ambos pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). É também professor licenciado da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e compôs a equipe da Secretaria de Planejamento no governo de Jaques Wagner (PT).

Em 2011, Jerônimo foi secretário Executivo Adjunto do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Secretário Nacional do Desenvolvimento Territorial (SDT/MDA), secretário Executivo do Programa Pró Territórios/Cumbre Ibero Americana e Assessor Especial do Ministro do Desenvolvimento Agrário. No governo Rui Costa (PT), Jerônimo assumiu a missão de implantar a Secretaria de Desenvolvimento Rural. No segundo mandato de Rui, assumiu a pasta da Secretaria de Educação.

Brasil de Fato

Más notas sobre el tema